Proposta Pedagógica

POR Portal 01/08/2011

Proposta pedagógica

No contexto pós-moderno onde vivemos, surge a necessidade de uma visão geral e total, de um saber global a respeito da sociedade, sua teia de relações, instituições e suas funções... Nestes novos tempos é preciso reconhecer a necessidade da busca da reconceitualização da Unidade Escolar, de sua função e de seu fazer específico.

Entendemos a Proposta Pedagógica como um situar-se num horizonte de possibilidades na caminhada, no cotidiano, imprimindo uma direção que se deriva de respostas a um feixe de indagações, tais como: que educação queremos e que tipo de cidadão desejamos para a sociedade? A direção se fará ao se compreender e propor uma organização que se funda no entendimento compartilhado dos professores, dos alunos e demais profissionais. Surge aí, a necessidade de se ter na Proposta Pedagógica um permanente processo de discussão das práticas, das preocupações (individuais e coletivas), dos obstáculos aos propósitos da Unidade Escolar, da educação e de seus pressupostos de atuação.

 

OS PRINCÍPIOS EDUCACIONAIS

 

São estabelecidos a partir da perspectiva bíblico-cristã, constituindo-se no processo que promova o desenvolvimento físico, intelectual, social, moral e espiritual, formando cidadãos realizados e participativos.

  

A EDUCAÇÃO

Como um dever da família, inspirada nos princípios educacionais cristãos, na liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o desenvolvimento pleno do educando em todas as suas dimensões, prepará-lo para o exercício consciente da cidadania e qualificá-lo para o trabalho.

 

OS OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR

 

Atender às características e peculiaridades locais de cada unidade e curso, correspondente às faixas etárias dos educandos, conforme a estrutura definida para cada curso, alcançada mediante:

Um currículo fundamentado em princípios filosóficos e científicos, voltado para uma educação contínua durante todo o período de existência possível ao ser humano;

O conhecimento do corpo e sua relação com a mente, promovendo a saúde física e o desenvolvimento de um caráter íntegro e equilibrado;

A orientação de aprendizagem para que o aluno trabalhe seu pensamento e desenvolva a capacidade de análise e de síntese, descobrindo por si próprio a verdade, atingindo a autonomia intelectual;

O conhecimento da vontade divina revelada nas Sagradas Escrituras.

 

OBJETIVOS DOS CURSOS

 

A educação básica tem por finalidade o desenvolvimento do educando, assegurando-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornece-lhe os meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores.

  • Princípios Metodológicos.
  • Centralidade na Bíblia – consideração aos valores bíblicos-cristão.
  • Integração fé e ensino.
  • Progressão na abordagem e aprofundamento do conteúdo e no desenvolvimento de competências e habilidades.
  • Clareza e objetividade no processo de ensino.
  • Relação teoria-prática.
  • Coerência entre objetivos, conteúdos, procedimentos e avaliação.
  • Consideração pelos conhecimentos adquiridos e as experiências vividas.
  • Conhecimento do estudante e de sua realidade.
  • Estímulo ao espírito de investigação, reflexão e criatividade.
  • Consolidação dos conhecimentos, tornando-os permanentes.
  • Respeito às diferenças individuais.
  • Espírito cooperativo.
  • Interdisciplinaridade.

 

 O CURRÍCULO

 

Está em sintonia com os fins e objetivos da Entidade Mantenedora das unidades e de cada curso e ano, e das diretrizes curriculares instituídas através da legislação vigente.

O currículo das Escolas Adventistas é integrado a uma perspectiva Bíblica, sendo que sua cosmovisão provê um fundamento e um contexto para todo o conhecimento humano, sendo a base permeadora de todas as ações pedagógicas e educacionais.

 

AS AULAS

 

Têm como objetivo alcançar o desenvolvimento integral com base em três aspectos: Constatação, Reflexão e Transformação. Sendo que no conhecimento a fim de provocar interesse e propor desafios. Quanto ao procedimental, o reconhecimento da importância do estudo realizado numa reflexão, troca de informações e experiências entre os alunos e o atitudinal, com base nos conhecimentos adquiridos, propomos para as aulas um alcance mais profundo e aplicativo à vida diária, ou seja, à indissolúvel relação entre a teoria e a prática da nossa proposta pedagógica. É dada ênfase nas atividades de pesquisa, reflexão em grupo ou coletiva, atividades individuais e de grupo que proporcionam uma experiência humana e cognitiva, desenvolvendo competências e habilidades do educando.

 

Interdisciplinaridade

 

A necessidade de um trabalho pedagógico integrado em que não haja compartimentalização de conhecimentos, com uma evidente hierarquização de conteúdos e disciplinas, é um fator indispensável para que os discentes construam significados em sua aprendizagem.

 

A interdisciplinaridade é o modo de superar a fragmentação do ensino e exige uma interação entre os docentes, num esforço conjunto de integralizar as diversas áreas do conhecimento. Dessa forma, os discentes são levados a compreender a articulação dos saberes.

 

A perspectiva interdisciplinar permite o exercício permanente de aprofundamento dos conhecimentos ao se indagar a relevância e pertinência de tais conhecimentos para compreender, planejar, executar e avaliar situações de ensino e aprendizagem.

 

Autonomia

 

Dando ênfase as atividades que valorizem a atuação do aluno, levando em conta suas experiências pessoais, seus conhecimentos prévios e sua capacidade de tomar decisões e fazer escolhas, a autonomia é construída e promovido o crescimento do indivíduo bem como da coletividade.

 

Através da elaboração de projetos pessoais, desenvolvendo-se o pensamento autônomo, indispensável para o domínio das competências necessárias para o exercício da vida profissional e da inserção social.

 

A capacidade de pensar por si mesmos, sem serem conduzidos ou dirigidos por outros, e o autocontrole, ao invés de controle externo, são essenciais para o desenvolvimento intelectual e moral, objetivos primordiais da educação cristã.

 

 Aprendizagem Significativa

 

Ao privilegiar atividades que levam em conta as experiências prévias dos alunos e estabelecer relações entre o conhecimento e situações da realidade prática, os professores ancorarão o novo conteúdo a estruturas de aprendizagem  significativa. Através da contextualização dos conteúdos, relacionados a experiências do cotidiano, esse princípio também promoverá o relacionamento entre a teoria e a prática.

 

O trabalho pedagógico deverá caracterizar-se pelo envolvimento dos estudantes em pesquisas e atividades de investigação, buscando nas evidências dos indivíduos, no seu contexto socioeconômico e cultural, um caminho para educar, considerando-o como um ser que age e interage com o meio.